Membros do Estado Islâmico presos no Brasil, e qual a chance de um ataque nas olimpíadas?

[Em alguns momentos do vídeo tem som de mensagem e o som é alto – desculpa!]

Hoje, dia 21 de Julho, 10 pessoas foram presas no Brasil, supostamente como sendo membros do Estado Islâmico.
Com a aproximação das olimpíadas do Rio, o interesse pelo grupo terrorista no Brasil parece ter crescido de forma preocupante, com a criação de um canal de notícias no Telegram em Português e um outro grupo, mais recente, de supostos apoiadores brasileiros.
Neste vídeo, Ivan Mizanzuk, host dos podcasts AntiCast e Projeto Humanos, comenta um pouco sobre essas movimentações online do Estado Islâmico, explicando em parte sua presença online e táticas de comunicação. O que eles querem com brasileiros? Há um risco de ataque no Brasil? E o que sabemos sobre as pessoas que foram presas?
IMPORTANTE: eu confundo alguns dois termos no decorrer do vídeo: “Canal” e “Grupo” de Telegram. “Canal” você só recebe mensagens. São neles que estou. “Grupo” é onde você interage e conversa com os membros. Não estou em nenhum (e não pretendo estar).
Links
Twitter da Rukmini Callimachi, repórter do New York Times

Twitter do Michael S. Smith II*, repórter e especialista em terrorismo
*Eu falei que ele é reporter, mas eu me enganei. Ele dá muitas entrevistas, mas é na verdade um analista e especialista de inteligência em contra-terrorismo de uma empresa privada dos EUA.

Matéria da Folha “Polícia Federal prende grupo que planejava ataque terrorista na Olimpíada”

Matéria da Revista Fórum: “‘Os únicos grupos que ele tinha no WhatsApp eram de aula de árabe’, diz esposa de acusado de terrorismo”

Matéria da Folha: “Aliciadores do Estado Islâmico buscam brasileiros na Europa; Folha seguiu seus passos”

 

Twitter do Ivan